segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Fifo Lima fala dos 18 meses de blog

Cine Luz: Tudo bem?
Fifo Lima: Tudo!
Cine Luz: Quanto tempo de blog?
Fifo: Tá chegando a 1 ano e meio.
Cine Luz: Um post por dia?
Fifo: Falhei em dois momentos, quando fiquei uma semana sem postar.
Cine Luz: Por que essa compulsão?
Fifo: Vai saber!
Cine Luz: Quantas visitas?
Fifo: No total, 31.850 visitas.
Cine Luz: Quantas visitas diárias?
Fifo: Atualmente, 90. Há 18 meses eram 30.
Cine Luz: Quem são e quantos visitantes?
Fifo: A maioria é de Santa Catarina. Há também de outros Estados brasileiros e do exterior. Não tenho uma medição, mas a motivação, acredito, é por informações sobre o cinema produzido no Estado. É também o caso de profissionais de SC que foram trabalhar em outras plagas e não querem perder o contato com o cinema da terrinha. São uns 300 visitantes, que se alternam em visitas diárias, semanais, mensais. É um gueto ampliado.
Cine Luz: Na chamada do blog, lá em cima, tá escrito: “Reflexões, Informes e outras Intervenções sobre o Cine Catarina” Você tem seguido este caminho?
Fifo: Sim. Só lamento que no caso de reflexões elas tenham sido sobre burocracia e não sobre filmes. Queria ter escrito sobre Cerveja Falada, dirigido por Guto, Demétrio e Cudo, um documentário raro pela maneira íntima em que o mestre cervejeiro Rupprecht Loeffler, de Canoinhas, é captado. O filme tem muitas nuances. O movimento de Dona Gerda, 86 anos, e Loeffler, 93, marido e mulher, por exemplo, daria um texto. Loeffer está sentado no escritório e a mulher o circula. Estão casados há mais de 60 anos. Desenvolveram códigos particulares e explícitos de entendimento e convivência. A alegria do filme é outra camada. Mas poderia falar também do que não me agradou, como o título do doc e o desfecho abrupto. Assiste duas vezes, e na segunda suportei melhor o corte final.
Cine Luz: Este filme foi feito a partir de um SC em Cena, da RBS TV, não é?
Fifo: Sim. Os diretores conheceram a cervejaria “Canoinhense”, de mestre Loeffer, em 2007, durante a gravação de um dos programas, que abordava as cervejarias surgidas a partir da chegada dos alemães. Aí resolveram fazer um filme em torno de Loeffer.
Cine Luz: Falando em SC em Cena... Acabou?
Fifo: Pois é. É o que parece. É uma pena. Era uma janela extraordinária. Talvez o programa possa ser repensado. Na verdade, não houve uma movimentação dos produtores, tentando negociar, conversar, propor alternativas. Enfim.
Cine Luz: Há outras janelas também!
Fifo: Claro, a Contraponto, do Maurício e da Kátia, produziu o Ser Cultural, série de programetes que foram ao ar pela RIC Record no final do ano passado e estão disponíveis numa página no Vímeo. É o primeiro projeto de TV financiado pela lei municipal de incentivo à cultura.
Cine Luz: E o cinema catarinense vai bem?
Fifo: Se formos julgar pela premiação em festivais, o ano de 2010 foi representivo. Tivemos premiações de filmes realizados pelo Edital Catarinense de Cinema (ex-Prêmio Cinemateca) e por outras fontes de financiamento. O blog tem publicado - às vezes com atraso -, é verdade, as premiações. É o caso do post anterior, sobre Cinemaiêutica, do joinvilense Rodrigo Falk Brum, indicado em 23 de janeiro para o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, o Oscar Nacional. Chamar de Oscar já é uma maneira colonizada de pensar, mas vá lá!
Cine Luz: E qual é o futuro desta cinematografia que você chama catarina?
Fifo: Sinto muito, mas já acabou o tempo. Combinamos 30 minutos.
Cine Luz: Mas...

Foto: Fábio Brüggemann

15 comentários:

  1. Parabéns, criatura! Mas esse charuto é uma indecência, hehehe.bj.

    ResponderExcluir
  2. ronald, deixa de ser malcriado.
    regina, deixa de ser homofóbica.
    fabiano, a repórter ficou com o áudio.
    aliás, fabiano, você é um pouco o pai do blog, que nasceu no diário com o teu estímulo.
    aproveito o post para fazer uma correção, na verdade não fiquei somente duas semanas sem postar. Nestes 530 dias no ar, postei 448 vezes. Digamos que seja então, quase um post por dia.

    ResponderExcluir
  3. É cada coisa que a gente vê nessa internet!

    ResponderExcluir
  4. Muito bom!
    Fifo, você sabe como está a implantação da TV Brasil aqui em Santa Catarina?

    ResponderExcluir
  5. Enila, há pouquíssimas informações. O que eu sei é que o cineasta Eduardo Paredes foi contratado para a implantação e para dirigir a emissora. Se ele estiver nos ouvindo, talvez possa falar sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  6. mas digo bem mesmo quando maldigo, beijoabraço!

    ResponderExcluir
  7. Adorei o post. Só acrescentando. Pelo relatório que recebemos do Governo do Estado. O Edital vai voltar a ser chamado de Edital Cinemateca Catarinense. Na verdade, nunca poderia ter sido mudado. Burocracias e mais burocracias.

    Parabens pela central de informações.

    abração
    Oscar

    ResponderExcluir
  8. Parabéns Fifo! O blog se tornou, sem dúvida, uma fonte fundamental. Sempre acesso para ver as informações. Adorei a pose, afinal, a gente aprende a degustar um bom charuto!

    ResponderExcluir
  9. concordo com a malcriação do tuca.
    e a foto ficou bacaninha também.

    ResponderExcluir
  10. Esse Fifo é marqueteiro!

    ResponderExcluir
  11. Na entrevista, poderia ter falado também que o blog só existe porque há uma cadeia produtiva de cinema em Santa Catarina. Há uma movimentação muito forte em Florianópolis e núcleos em Joinville, Blumenau, Itajaí, Chapecó, Lages. São questões como processos de filmagem,leis e editais de fomento, premiações e lançamento de filme que movimentam o Cine Luz. Obrigado.

    ResponderExcluir
  12. Parabéns, Fifo, por ter agregado sua experiência de jornalista, que não é pouca, ao cinema catarinense. Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Obrigado a todos. Obrigado pela foto, Fábio.

    ResponderExcluir